LEONORA FINK
1965 - CURSO TÉCNICO DE DESENHO DE COMUNICAÇÃO
 
esse folheto, de 1965 foi criado por Ítalo Bianchi, para divulgar o curso de decoração de três anos e os cursos livres do iadê

conteúdo

folheto iadê 1965

nós, o iadê, nascemos em ’59. crescemos navegando contra a corrente. temos, preservamos uma estrutura dinâmica. correspondemos a uma mentalidade, não a uma fórmula. nossas perspectivas não são pretensiosas: são ambiciosas. buscamos horizontes que estão sempre mais adiante. sabemos que se pode mais, pode-se melhor: ambição de humildade. em janeiro de ’65 vamos nos mudar para uma nova sede. instalações ampliadas, melhores condições de trabalho, mais colaboradores: soma de experiências. gostamos de ser iadê. gostamos da ação, da disciplina. amamos igualmente o estro e a lógica. alimentamos o entusiasmo, respeitamos a sabedoria. acreditamos na harmonia dos contrastes. o iadê é jovem e pretende se manter jovem pela renovação, pela estrutura dinâmica. gostamos de ensinar e de aprender. estamos sempre começando de novo. queremos ter a agilidade, o vigor, o perfil nítido, as escamas limpas dos peixes que navegam rio acima. muitas centenas de alunos já nos acompanharam, outras centenas seguem conosco. gostamos, eles e nós, de ser iadê.
são paulo, novembro de 1964
pg.1

curso de decoração

um mal entendido se estabeleceu na interpretação do termo decoração, contrapondo duas concepções: a tradicional (fantasia - ornamento) e a contemporânea (organicidade – função). tradicionalmente decorar era enfeitar, enriquecer. para isto eram chamadas pessoas de bom gosto ou eruditos em estilos. ainda se recorria a profissionais como decoradores-tapeceiros, decoradores-marceneiros. neste esquema decorar era só luxo, soma de elementos acessórios e supérfluos em nome de uma discutível beleza. hoje, definida uma cultura do século XX, torna-se anacrônica esta atividade de caráter superficial e muitas vezes amadorístico. como resposta à consciência de exigências novas, a decoração atinge outra dimensão: torna-se arquitetura de interiores. organização do espaço interno, procurando dar continuidade ao caráter da arquitetura atual. demarcada como uma especialização técnico-estética, graças à sua independência, ganha profundidade e capacidade para resolver a parcela de necessidades humanas que lhe corresponde: integração do homem em seu ambiente. a decoração contemporânea pretende mais que harmonia formal, procura formas próprias para uma condição de vida harmônica.
base cultural, educação estética, formação técnica, cunho profissional fundamentam o programa do curso de decoração do iadê.

objetivamos:
localização no tempo e no espaço dos fenômenos estilísticos, que fornecem os fatores críticos para a compreensão da nossa época.

aulas teóricas – projeções e análise de obras – que cultivam a capacidade de julgamento estético e estimulam as faculdades criadoras.

aulas práticas que proporcionam as habilidades próprias do métier e possibilitam as experiências de criação.

aulas técnicas que oferecem os elementos concretos da realização profissional.
o estúdio anexo, atuante, ministra ao curso dados reais e polêmicos da atualização.

duração do curso: 3 anos.

disciplinas:

1º ano – decoração, desenho e história da arte.
2º ano – decoração, desenho, introdução à arquitetura e introdução à arte moderna.
3º ano – decoração e complementos culturais.
programa: páginas 11 a 15.
pg.3


cursos independentes pg 9

três disciplinas do curso de decoração (história da arte, introdução à arte moderna, introdução à arquitetura) e uma cadeira extra-curricular (quatro séculos de pintura)
são mantidos pelo iadê também em forma de cursos independentes, podendo ser freqüentados isoladamente. pela sua estrutura histórico-crítica, pelo método de análise comparada, pela linguagem plana e progressiva, estes cursos oferecem (para um público interessado na informação artística) uma fonte válida de extensão cultural.

duração de cada curso: 1 ano.

história da arte
turma única 3ª. e 6ª. 16.15/17.45 sala 5

introdução à arte moderna
turma única 2ª. e 5ª. 14.30/15.45 sala 4

introdução à arquitetura
turma única 3ª. e 6ª. 14.15/15.45 sala 4

quatro séculos de pintura
turma única 4ª. feiras 16.00/18.00 sala 5

matrículas pg 10

curso de decoração
condição para matrícula

diploma ginasial ou equivalente.
não são admitidos alunos ouvintes.

documentos

1.° ano: diploma, documento de identidade, atestado médico e três fotografias 3 x 4.
2.° e 3.° ano: duas fotografias 3 x 4.

cursos independentes

condição para matrícula
diploma ginasial ou equivalente. são admitidos alunos ouvintes.

documentos
alunos regulares:
diploma, documento de identidade, atestado médico e três fotografias 3 x 4.

alunos ouvintes:
documento de identidade e duas fotografias 3 x 4.

expediente secretaria
de 2ª. a 6ª. feira, das 8.00 às 12.00 e das 14.00 às 18.00 horas.

período de matrículas
de 4 de janeiro a 26 de fevereiro.

início das aulas
a 8 de março, devendo cada aluno comparecer em dia e hora correspondentes à primeira aula semanal de sua turma.

o regimento interno, dispondo sobre aplicação e freqüência, pode ser requisitado na secretaria.

os documentos necessários para matrícula não serão devolvidos, devendo ter firma reconhecida ou ser autenticados (fotocópias).

programas

decoração I

composição:

teoria: generalidades - espaço compositivo - esquemas - propriedades - proporção, módulos - valor gráfico e tonal - dominantes - valores psicológicos.

prática: exercícios de composição plana.

cor:
teoria: aspectos físicos - absorção e reflexos - luz e sombra - círculo fundamental - propriedades – harmonização - esquemas - valores psicológicos - a cor na decoração.
prática: exercícios de harmonização em abstrato e sua aplicação.

materiais:
teoria: generalidades - propriedades físicas, estéticas e funcionais - classificação e apresentação – tratamentos e acabamentos - madeiras, metais, cerâmicas, vidros,
pedras, tecidos, couros e sintéticos.
prática: reconhecimento dos materiais.

pg 11

decoração II

princípios de decoração:
teoria: conceituação contemporânea - espaço arquitetônico - organicidade e função - prerrogativas e medidas funcionais - mobiliário – iluminação – relação dos fatores técnicos, tecnológicos, estéticos e funcionais - formação de ambientes - técnica de planejamento.
prática: exercícios de composição no espaço – projetos de elementos arquitetônicos, peças de mobiliário, acessórios, distribuição de ambientes.

decoração III

orientação teórico-prática:
expressão gráfica - croquis - esquemas de cores - gouache e colagem - artesanato e indústria: tapetes e tapeçaria, vidros e cristais, cerâmicas e porcelanas - ligações e encaixes - ferragens - mesas - portas e gavetas - cadeiras - camas, turcas, sofás-camas - estantes - armários - estofados - copas e cozinhas - banheiros revestimentos - pisos - distribuição e circulação - móveis versáteis - móveis em série - decoração publicitária - personalidade e relações humanas - aspectos econômicos e sociais - trabalho de equipe - ética profissional.
trabalhos: exercícios de grafismo, croquis, colagem - pesquisas - projeto de peças para fabricação artesanal e em série - projetos de decoração integral - projetos
em equipe.

desenho I

desenho a mão livre: domínio do traço - proporção.
geometria plana: elementos geométricos - ângulos - circunferências - polígonos - concordância.
geometria do espaço: determinações do plano – relações entre plano e reta - relações entre planos – poliedros (prismas, cubo e pirâmides) - superfícies e sólidos de revolução - curvas cônicas (elipse, parábola e hipérbole).

pg 12

geometria descritiva - noções fundamentais: projeção ortogonal (do ponto, da reta, de figuras planas e de sólidos) - iniciação ao desenho técnico.
perspectiva.
escalas.
representação de peças simples do mobiliário.

desenho II

perspectiva frontal - projeção ortogonal e perspectiva de curvas - perspectiva de planos inclinados e escadas - projeção ortogonal e perspectiva de móveis com modelo real - perspectiva de ambientes - convenções arquitetônicas - representação em corte de móveis - detalhes.
perspectiva intuitiva - proporção - grafismo – técnica do gouache.

história da arte

informação histórica, indagação dos fenômenos culturais determinantes, análise crítica, exposição dos processos técnicos (projeção e comparação sistemática de obras) dos seguintes períodos: pré-história (pintura da região franco-cantábrica e do levante espanhol – monumentos neolíticos) - egito (arquitetura, pintura e escultura dos três impérios e da baixa época) - mesopotâmia e pérsia aquemênida (arquitetura e escultura) - grécia (de creta ao helenismo: arquitetura, escultura e cerâmica) – povos itálicos (manifestações pré-históricas - arte etrusca) -roma (arquitetura, escultura e pintura da república e do império) - arte bizantina (arquitetura, mosaico, ícones e iluminuras) - arte islâmica (arquitetura) - arte celta irlandesa (jóias e iluminuras) - arte carolíngia e românica (escola comacina - arquitetura e escultura) -
arte gótica (arquitetura, escultura, vitrais e iluminuras) - introdução ao renascimento e ao barroco (pintura, escultura e arquitetura).

pg 13

introdução à arte moderna

aspectos conceituais e polêmicas: o problema da função da arte - a pintura revolucionária e a tradição acadêmica - os valores pictóricos - aspectos de forma e conteúdo - crítica de arte e história.
abordagem histórico-crítica: revolução francesa (neo-classicismo) - romantismo - realismo - escola de barbizon - naturalismo - impressionismo - neo-impressionismo - simbolismo - os nabis - fauvismo -primitivos e primitivismo - expressionismo - cubismo - futurismo - abstração - pintura metafísica italiana - dadaísmo - surrealismo - tendências contemporâneas.
localização, dados biográficos e análise de obras:
david - goya - turner - ingres - delacroix - millet - courbet - corot - manet - monet - degas - renoir - cézanne - gauguin - van gogh - lautrec – matisse - derain - vlamink - dufy - rousseau - nolde - kokoschka - soutine - rouault - picasso - braque - juan gris - léger - La fresnaye - delaunay - lothe - villon - duchamp - modigliani – utrillo kandinsky- klee –mondrian - de chirico- dali - miró - chagall - pintores da geração contemporânea.

introdução à arquitetura

iniciação à compreensão da forma arquitetônica (arquitetura na acepção ampla do termo: do edifício ao utensílio) através da abordagem histórica e da análise fenomenológica.
estudo da evolução das formas do ponto de vista cultural, estrutural, sensível e utilitário.
divisão das formas - evolução das formas naturais - introdução às formas artificiais - noções de antropologia - pré-história – egito - mesopotâmia – grécia – roma - bizâncio - românico - gótico - renascimento - barroco
- conceito de estilo - evolução do mobiliário – luís XIII – luís XIV – luís XV – luís XVI – revolução francesa - estilos ingleses - barroco português -mobiliário brasileiro - introdução ao movimento moderno - revolução industrial - romantismo – processo de criação - materiais de construção - função - arts and crafts - art nouveau - mackintosch, freysinet, perret e gaudi - loos, behrens e muthesius - richardson e sullivan - wright (organicidade) – mies van der rohe (estrutura-função) - le corbusier (forma) - gropius e a bauhaus (equipe, método e desenho).

pg 14

quatro séculos de pintura

estudo histórico-crítico da pintura do renascimento e do barroco (século XV a século XVIII).
análise dos fenômenos culturais, das escolas e dos pintores.
introdução ao renascimento italiano
- o quattrocento - a escola florentina: angelico, masaccio, paolo uccello, domenico veneziano, filippo lippi, andrea dei castagno, pollaiuolo, piero della francesca, verrocchio, ghirlandaio, botticelli - a escola umbra: signorelli, perugino - a escola de pádua: mantegna - a escola de ferrara: francesco dei cossa - a escola veneziana: antonello da messina, bellini, carpaccio
- o cinquecento - leonardo - a escola romana: raffaello, michelangelo - a escola veneziana: giorgione, tiziano, tintoretto, veranese – o maneirismo: andrea dei sarto, jacopo da pontormo, bronzino, correggio, parmigianino, sebastiano dei piombo, lotto, moroni
- o século XV francês - as escolas do loire: fouquet, maître de moulins - as escolas de provence: mestre da anunciação, mestre da pietà de villeneuve les avignon - a pintura flamenga do século XV: van eych, mestre de flémalle, van der weyden, petrus christus, bouts, van der goes, memlinc
- a pintura flamenga do século XVI: bosch, bruegel, metzys
- a pintura alemã do século XV: schongauer
- a pintura alemã do século XVI: dürer, grünewald, cranach, holbein
- a pintura francesa do século XVI: elouet
- a pintura do século XV na Espanha e em portugal: huguet, nuno gonçalves
- a pintura espanhola do século XVI: luis de morales, anthonis moor,
el greco.

introdução ao barroco
o século XVII: caravaggio, La tour, ribera, murillo, zurbaran, velasquez, rubens, rembrandt, hals, vermeer, van dyck, le nain, lorrain, poussin -
o século XVIII: walleau, chardin, fragonard, rigaud, boucher, magnasco, canaletto, guardi, tiepolo, hogarth, reynolds, gainsborough.

complementos culturais
palestras de professores do iadê e professores convidados sobre os temas: urbanismo - arquitetura – desenho industrial - artes gráficas - sociologia - estética - crítica de arte - cinema - teatro - cenografia - música - literatura - poesia - assuntos de atualidade.

pg 15

voltar a busca


ver ampliado

voltar a busca